Como a tecnologia está tornando as organizações mais sustentáveis?

Tempo de leitura: 3 minutos

A tecnologia pode ser considerada uma aliada do meio ambiente já há algum tempo. Não é de hoje, por exemplo, que vemos as indústrias e ambientes corporativos reduzirem em muito o uso de papel e substituir seu uso por comunicações digitais.

Embora esse seja um exemplo simples e básico do que a tecnologia pode fazer pelo meio ambiente e pelas organizações, ele representa um movimento de mudança: ao preferir usar recursos tecnológicos, a sociedade poupa os naturais e vê a cadeia girar de forma mais eficiente, reduzindo desperdício e otimizando o tempo dos colaboradores.

Em muitas das organizações já vemos a preocupação com a sustentabilidade como uma realidade. Além do papel que citamos, que é básico, muitas empresas procuram otimizar custos e poupar recursos naturais ao investir em sistemas de iluminação mais modernos, por exemplo. Isso sem falar nas empresas que optam por construir sedes inteiramente verdes, com estruturas que contemplam economia e tratamento de água, incentivo ao descarte correto de resíduos, pontos de reciclagem, espaço para energia renovável, entre outros aspectos.

Sustentabilidade como aliada social

Em uma visão mais ampla da sustentabilidade, que engloba aspectos sociais, econômicos e ambientais, os benefícios da inovação ganham ainda mais amplitude. No caso da sustentabilidade social, a tecnologia e a inclusão digital podem transformar a vida das pessoas de forma significativa.

Hoje, por meio da expansão digital, as barreiras sociais foram diminuídas, ao passo que o acesso à conteúdos, aulas, emprego, entre outras oportunidades, aumentou. Desta forma, a integração entre as pessoas de diferentes classes aumenta e as oportunidades se expandem para todos, unindo assim a comunidade às organizações.

Para ser genuína em sua causa sustentável, uma organização terá sempre em mente trabalho social associado ao seu programa de preservação ambiental – afinal, um aspecto complementa o outro.

Economia criativa

Outro aspecto importante da tecnologia aliada à sustentabilidade é a geração de renda, que reflete no pilar econômico. Com o avanço dos dispositivos móveis, a economia criativa também ganhou espaço e novas formas de renda surgiram, favorecendo principalmente a população que estava fora do mercado de trabalho. Nesse aspecto, os empreendedores e startups aumentaram e novas organizações foram inteiramente formadas com bases tecnológicas.

Como exemplo podemos citar os aplicativos para chamar táxi ou outros tipos de carona, além dos aluguéis de bicicleta e patinetes que são compartilhados em grandes cidades como São Paulo. Nesse caso específico, a tecnologia contribuiu para a mobilidade urbana e tem impacto direto na sustentabilidade ambiental.

Ainda em relação ao meio ambiente, a tecnologia e inovação estão presentes como nunca em áreas como o agronegócio, ajudando a poupar recursos na produção de alimentos – muito embora esse aspecto necessite de acompanhamento de perto da sociedade, para preservar de fato a sustentabilidade do meio e não tornar a tecnologia uma inimiga.

Ou, ainda, vemos exemplos de pecuária sustentável e alternativas para o consumo excessivo de carne surgindo no mercado com bases tecnológicas – como alimentos com DNA modificado que começam a ganhar as prateleiras.

Vamos ficar de olho? A tecnologia pode fazer muito pela sociedade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *