O uso da tecnologia para otimizar o desempenho da sua ONG

Tempo de leitura: 3 minutos

O Terceiro Setor é uma categoria extremamente ativa no Brasil, contando com cerca de 300 mil ONGs registradas no Governo Federal. Apesar disso, é típico se deparar com alguma ONG falindo e fechando suas portas por administração financeira equivocada. Tais entidades encontram diversos problemas para se manter financeiramente saudáveis e muitas preferem encerrar suas atividades por causa do alto prejuízo.

Por necessitarem de apoio financeiro externo, doações e políticas públicas, as organizações se veem atadas a processos ultrapassados e pouca tecnologia em sua gestão. Uma alternativa inteligente para melhorar esses aspectos é apostar na adoção de tecnologias e procedimentos automatizados que, quando trazidos para a rotina da organização, podem auxiliar completamente em suas atividades e planejamento.

T.I para o Terceiro Setor

Apesar de empolgante à primeira vista, o investimento em T.I (Tecnologia da Informação) deve ser realizado após uma análise do que a organização necessita. As opções mais comuns em tecnologia são:

• Sites;

• Apps para smartphones;

• Blogs;

• Canal virtual de vídeo-transmissão;

• Redes sociais;

• Arquivos em nuvem, para a segurança dos dados da organização;

• Estrutura física como computadores mais modernos, internet veloz e softwares para a automação do trabalho.

Veja mais abaixo sobre as três principais ferramentas para otimizar o desempenho de ONGs:

Arquivos em nuvem

A computação em nuvem é, em linhas gerais, o serviço que permite manter arquivos em segurança, sem que nada seja instalado na máquina. Ou seja, a organização é capaz de guardar seus dados em ambiente seguro, podendo consultá-los a todo o momento e de qualquer dispositivo. Dentre as empresas que oferecem esse serviço, as mais conhecidas são:

• Google Drive;

• Microsoft (One Drive);

• Dropbox.

Redes sociais

A presença de ONGs em redes sociais é essencial para seu crescimento e sucesso. Apesar da organização não comercializar serviços ou produtos, estar presente nas redes traz maior alcance para que as pessoas conheçam o trabalho realizado por ela.

É fundamental que haja engajamento por meio de campanhas, de forma que o ato de doar seja incentivado e valorizado pelos seguidores. Com isso, a organização tem nas mãos a chance de conquistar novos doadores e admiradores de seu trabalho.

Para aumentar o interesse das pessoas, é interessante que a ONG entenda seu público e quais tipos de abordagem deve utilizar. Por exemplo, dificilmente uma audiência de adolescentes e jovens adultos se deixaria atrair por linguagens muito rebuscadas e postagens esporádicas. Para atrair este público, é recomendado que a organização facilite sua comunicação e aumente a frequência das postagens. Uma estratégia inteligente é o uso de memes, GIFs e referências (filmes, desenhos, reality shows etc.).

Estrutura física

A infraestrutura refere-se aos equipamentos, redes, softwares e tudo o que possibilita à implementação das novas tecnologias na organização. Apesar de custoso, o ideal seria que cada ONG possuísse seu próprio setor de tecnologia da informação. Dessa forma, a organização se preocuparia somente com o trabalho filantrópico, investindo todas as suas forças na causa assumida.

Entretanto, a realidade de muitas ONGS ainda é a falta de recursos financeiros para a contratação de pessoal especializado e aquisição de máquinas novas. Por isso, muitas organizações contam com o trabalho voluntário de profissionais do T.I.

Se você se interessa pelo universo tecnológico ou tem uma empresa que está começando agora a implementar estratégias de Tecnologia da Informação, acesse o nosso site e nos siga no Facebook|Instagram para sempre ficar por dentro de novos conteúdos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *