Cuidados que devem ser tomadas contra os vírus Ransomware

Tempo de leitura: 6 minutos

Cuidado com os vírus é uma premissa básica para qualquer um, seja no âmbito pessoal ou profissional. No caso de sistemas mais sofisticados de corporações, com altos graus de informações e dados armazenados, obviamente a preocupação é ainda maior. Entre os tipos de vírus existentes, um bastante perigoso é o Ransomware.

Esta classe de invasor tem como principal finalidade a possibilidade de os responsáveis conseguirem extorquir valores em dinheiro de quem foi hackeado. Isso porque o vírus consegue bloquear dados e deixá-los presos, sem chance de utilização. Assim, quando as vítimas precisam movimentar as informações, elas são extorquidas para que haja liberação. E o pior: nem sempre pagar é uma boa opção, pois nada garante que os criminosos não manterão o vírus ativo, exigindo mais.

Ou seja, para não correr o risco de ficar refém dos vírus Ransomware, é necessária muita atenção e cuidado. Por isso, a seguir apresentaremos alguns fatores importantes para se ter em mente, na hora de garantir a segurança e evitar a infiltração deste tipo de vírus nas máquinas.

Cuidados contra os vírus Ransomware

Primeiro, é importante citar alguns detalhes que ajudam a evitar que o computador ou o serviço em questão seja invadido por esta classe de vírus. E, quanto a isso, não há grandes diferenças em relação a outros tipos de vírus.

Evitar os links em e-mails estranhos ou vindos de sites suspeitos é sempre a primeira opção. Afinal, ao clicar neste tipo de aba é o que os invasores precisam para colocar o vírus no seu sistema. No caso dos Ransomware, eles fazem isso, bloqueiam algum serviço específico e passam a pedir dinheiro em troca da liberação.

A abertura de anexos em e-mails desconhecidos e o download em páginas que não são confiáveis também são formas de os invasores conseguirem o que querem, então é preciso evitar este tipo de ação também.

Pensando em serviços que utilizam softwares e sistemas operacionais mais complexos, como é o caso de empresas, também é fundamental mantê-las sempre atualizadas. Deixar o programa ficar envelhecido, sem as novidades sugeridas e oferecidas pela fornecedora torna o espaço mais vulnerável a ataques.

Afinal, as grandes marcas fornecedoras de softwares têm enorme preocupação em atualizar seus sistemas de defesa, fazendo a proteção contra novos vírus estar sempre em dia. Ao não realizar as progressões, a corporação fica ameaçada de não ter um programa imune por completo.

Além disso, a instalação de um software específico para segurança dos dados e informações também é uma boa pedida. Este tipo de serviço já existe e garante que o sistema fique protegido contra os vírus Ransomware.

Outro cuidado que pode ser tomado em relação a esta classe de invasores é a constante realização de backups, garantindo que a empresa tenha um acesso extra aos conteúdos potencialmente atingidos e bloqueados. Assim, fica mais fácil manter o funcionamento, sem perder nada, em vez de cair em desespero por ter toda a atuação travada pelo Ransomware.

Mas, mesmo com todos os cuidados para não sofrer com a invasão, por algum descuido isso pode acontecer. Portanto, é fundamental que os tomadores de decisão saibam, também, como agir pós-ataque, e não apenas de forma preventiva. Por isso, agora vamos falar um pouco sobre quais cuidados tomar em relação ao Ransomware quando ele já está instalado no computador.

Primeiro de tudo, pensando em uma empresa que atua de maneira conectada, com um servidor e um programa que unifica os setores, integra processos e gera mais eficiência quando o funcionamento está limpo. Mas e se o vírus entrar em um computador? Sim, isso pode criar uma cadeia de problemas, com ele conseguindo se infiltrar em outras máquinas.

Portanto, o primeiro passo é tentar, o mais rápido possível e de maneira completa, isolar o computador em questão. É preciso conseguir que apenas aquela ferramenta seja atacada e tenha seus procedimentos bloqueados. Isso diminui, e muito, o tamanho do problema.

Ou seja, assim que perceber algo errado, o dono da máquina precisa alertar os responsáveis. Com o objeto desconectado do resto e fora da internet também, menor chance de propagação.

Como já dissemos acima, ter um software de segurança ajuda na prevenção, mas também pode auxiliar na hora de remover o Ransomware. Além disso, é importante a utilização de um descriptografador, capaz de neutralizar a ameaça e impedir que o vírus crie o bloqueio que pretende. Assim, mesmo que haja a colocação do vírus, este serviço será capaz de negar o bloqueio, já que não permite a criptografia.

Além disso, como também já chegamos a citar, há um aspecto fora da parte técnica: a questão da chantagem. Como os Ransomware têm como objetivo criar um motivo para extorsão, o ideal é que as vítimas não se desesperem e saiam pagando tudo que for pedido.

Há formas de, com o isolamento do computador e uso de ferramentas como as citadas, evitar o bloqueio ou contorná-lo. Cair na pressão e desembolsar os valores só traz prejuízo. Afinal, nada garante que os hackers vão se satisfazer. Eles podem simplesmente aumentar a pedida e seguir a chantagem. Por isso, o cuidado precisa ser com a prevenção e resolução do problema na máquina. Não pode haver negociação com quem introduziu o vírus.

De forma geral, estes são os cuidados a serem tomados contra o tipo Ransomware de vírus. Em certo aspecto, a prevenção é semelhante a outros tipos, evitando links e páginas suspeitas, anexos de e-mails etc.

Mas a característica específica deste invasor, que faz a criptografia de dados para bloqueá-los e gerar o ambiente para uma extorsão, torna fundamental ter respostas técnicas, com softwares de segurança e até mesmo com descriptografia. A tecnologia já traz soluções deste tipo, o que ajuda na proteção das máquinas.

Gostou e quer ficar por dentro de todos os conteúdos? Acesse o nosso site e nos siga no Facebook|Instagram para sempre ficar por dentro de novos conteúdos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *