Malwares: o que são e como proteger sua instituição

Tempo de leitura: 2 minutos

A internet chegou para revolucionar o mundo que conhecíamos. A ideia de uma rede global interligada, onde é possível a transferência de informações entre países e continentes, é simplesmente sensacional. Entretanto, com o aumento do alcance da rede, também aumentaram o número de malwares que existem no mundo digital.

Só o Brasil, sofreu mais de 3.800.000 ataques por ransomware, que é um tipo de malware. Isso mostra que a segurança de dados e sistemas deve ser um ponto de extrema atenção.

Mas afinal, o que é um malware? E como proteger sua instituição? É isso que vamos responder agora, continue a leitura.

O que são malwares?

O termo malware é uma abreviação para malicious software, que significa literalmente software malicioso. A Oxford Languages, define malware como:

“Software designado especificamente para romper, prejudicar ou ganhar acesso não autorizado de um sistema de computador”.

São basicamente softwares utilizados para promover ações não autorizadas pelo usuário do sistema afetado. São amplamente usados por hackers para conseguir dados sigilosos, informações bancárias ou de cartões, senhas, ou qualquer outra informação que seja útil para o criminoso.

Existem vários tipos de malware, dentre eles podemos citar:

    • Ransomware: usados para bloquear arquivos ou sistemas;
    • Spyware: como o próprio nome sugere, esses servem para espionar as ações do usuário, com o objetivo de conseguir roubar alguma informação;
    • Backdoor:Conseguem tomar controle do sistema afetado;
    • Adware:expõe publicidades indesejadas e geralmente mal intencionadas.

Além desses citados, há muitos outros que podem chegar por e-mail, através da navegação de sites, por fotos e vídeos e download de apps. As formas que um sistema pode ser infectado são gigantescas, e quando se está on-line, o risco é quase que constante.

Como proteger sua instituição?

Existem diversas formas de minimizar os riscos de ter a sua instituição infectada. O primeiro passo é instruir seus funcionários a não clicarem em qualquer link que pareça minimamente suspeito, principalmente aqueles que chegam por e-mail.

Não navegar por sites desconhecidos, não baixar programas de fontes não confiáveis e ficar sempre atento aos downloads de arquivos. A vigilância pessoal pode evitar muitos problemas, já que 95% das brechas em cibersegurança são causadas por erro humano.

Também faça a instalação de softwares antivírus, antimalwares, e qualquer outro que promova segurança. Com eles será possível, além de identificar, combater os malwares que conseguirem infectar a rede.

Opte por criptografar os seus dados, e faça um backup constante deles. A criptografia transforma os seus dados em códigos que só você pode compreender. Obviamente, nenhuma criptografia é totalmente indecifrável, mas elas podem ser fator determinante na decisão do hacker continuar o ataque. Existem vários programas disponíveis com essa função.

Gostou e quer ficar por dentro de todos os conteúdos? Acesse o nosso site e nos siga no Facebook|Instagram para sempre ficar por dentro de novos conteúdos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *